summer school

Estratégias de Produção Executiva para Cinema e Televisão

Inscrever-se

Numero de horas

  • 36h
  • 2h30 / dia x 16 dias

Datas propostas

  • 10-13-17-20-24-27-31 Julho
  • 3-7-10-14-17-21-24-27-31 Agosto

Terças e Sextas

Programa

  • Conteúdos e Modelos de Produção Diferenciados
    • Séries de ficção
    • Telenovelas
    • Brand entretainment
    • Filmes comerciais
  • Soft Money
    • Programas e mecanismos de financiamento
  • Orçamentação
  • Controlo Financeiro
  • Exploração de Direitos
    • Co-produção
    • Distribuição
    • Pré-vendas
    • Cooperações
    • Cross-media
    • Merchandising
  • Fases de Desenvolvimento e Execução
    • Pré-produção
      • Escrita de guião
      • Elenco principal, contratos
      • Banda sonora
      • Acordo fornecedores
      • Cedência direitos de autor, contratos Equipas e funções
    • Rodagem
      • Casting elenco secundário
      • Localizações
    • Pós-produção
      • Montagem de imagem
      • Montagem de som
      • Diálogos
      • Efeitos
      • Correção de cor
      • Mistura
  • Estratégias de Comunicação e Markting Audiovisual
    • Promoção
      • Festivais e mercados
    • Patrocínios e Financiamentos
      • Captação e acordos de softsponsoring, product placement e rúbricas patrocinadas
    • Media Sponsor
      • Acordos com agências de comunicação, orgãos de comunicação social e plataformas digitais on-line
    • Acessoria de Imprensa
      • Produção de anúncios de imprensa
      • Produção de spots de rádio
      • Produção de spots tv
      • Produção de suportes gráficos

Preço

230€

Docente

Elisa Couto Rodrigues

Qualificações

Frequência 1º Ciclo Mestrados em Estudos Cinematográficos, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Área Professional

Produção: Televisão | Cinema | Publicidade | Programação Cultural

Skills e Competências

Produção Audiovisual

  • Filmes de Ficção
  • Filmes Comerciais
  • Filmes Institucionais
  • Documentários
  • Entretenimento
  • Programação Cultural
  • Conteúdos

Experiência Profissional – Funções

  • Directora Geral dDa Produtora Audiovisual “Film Lovers”, Angola
  • Directora Exectuiva da Produtora Audiovisual “9 Films”, Angola
  • Directora de Produção Audiovisual da Agência de Publicidade “Executive”, Angola
  • Coordenadora e Directora De Produção de Filmes De Longa Metragem, Portugal
  • Directora de Produção Adjunta em Séries de Ficção Para Rtp, Portugal
  • Docente de 2 Disciplinas do Curso de Cinema, Vídeo e Comunicação Multimédia (Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Portugal)
  • Directora Adjunta do Teatro Camões, Expo’98, Portugal

Edit this post.

Escrita científica: Questões, práticas e divulgação

Inscrever-se

Data

  • 11 de julho – 17h30 – 22h30
  • 12 de julho – 17h30 – 22h30
  • 13 de julho – 17h30 – 20h30

Apresentação

Este Curso destina-se a estudantes de pós-graduação e a investigadores que pretendam desenvolver competências de escrita científica nas diferentes modalidades discursivas.

O curso integra, simultaneamente, uma componente de ordem epistemológica e de conceptualização de escrita científica e uma outra de ordem técnica e operativa.

Objetivos

  • Discutir os obstáculos epistemológicos que se colocam à escrita científica
  • Pensar os aspetos críticos da conceptualização à preparação e escrita de artigos científicos
  • Desenvolver competências de operacionalização de escrita cientifica em diferentes tipos de documentos científicos
  • Ser capaz de construir bibliografia de suporte a trabalhos científicos segundo a norma APA
  • Ser capaz de fazer a divulgação científica

Conteúdos

Pensar a escrita

  • Passos inerentes à escrita científica
  • Escrita como leitura da realidade

Tipologias da escrita científica

  • Artigo científico
  • Poster científico
  • Papers para apresentar em eventos científicos

Bibliografia

  • Criação de bibliografia segundo a norma APA
  • Abordagem a diferentes programas de gestão de bibliografia
  • Trabalho específico com o Mendeley

Fontes de pesquisa

  • Suportes digitais e impressos

Divulgação científica

  • Revistas com fator de impacto
  • Suportes de publicação
  • Tirar partido das redes digitais

Destinatários

Estudantes de Pós-Graduação (Mestrados e Doutoramentos) e investigadores

Preço

130€

Docente

Maria José Brites é Professora Auxiliar na ULP – Universidade Lusófona do Porto e é a coordenadora portuguesa do projeto Europeu Media in Action ( LC-00644630).

Foi coordenadora em Portugal (2013-2014) do projeto RadioActive Europe (531245-LLP-1-2012-1-UK-KA3-KA3). É membro de três ações Cost ( COST IS1401 European Literacy Network – onde coordena o Grupo de Literacia Digital, COST IS1410 DigitLitEY e CA15212 – Citizen Science) e de dois projetos europeus (News as Democratic Resources: Cross Cultural Comparative Research e Young children’s digital literacy and multimodal practices).

Doutorou-se na Universidade Nova de Lisboa e realizou pós-doutoramento na Universidade do Minho (2014-2017), em ambos os casos com bolsa da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Os interesses de pesquisa incluem áreas como os estudos da juventude, jornalismo e participação, estudos de audiências, literacia para as notícias e literacia cívica. Neste âmbito, dinamiza o blogue ANLiteMedia

CV DeGóis

Literatura Norte-Americana I | Os Clássicos

Inscrever-se

Facebook

Início 03/07. Final 19/07

  • Valor de inscrição por participante: 125 €
  • Nº mínimo/máximo de participantes: 10/20
  • Horas de contacto: Total de 18 h – 6 aulas de 170 min. – 2 aulas semanais

Horário pós-laboral | 18h30/21h30

  • Segunda-feira, das 18h30 às 21h30
  • Quarta-feira, das 18h30 às 21h30

Apresentação

Ao longo de um módulo de seis sessões, os participantes percorrerão a obra de sete dos autores mais fundamentais da história da ficção e da poesia dos EUA do final do século XIX, primeira metade do século XX.

Objetivos

Possibilitar um contacto abrangente com a história da literatura norte-americana, expressa em diversas técnicas, estilos e linguagens literárias, e formar competências de consciência crítica da leitura, praticada também como fonte de prazer e de alargamento de conhecimentos.

  • Aquisição de noções essenciais de história da literatura norte-americana.
  • Formação de competências críticas de leitura.
  • Compreensão dos mecanismos de construção da narrativa ficcional.
  • Identificação e aplicação de algumas das principais técnicas e recursos estilísticos literários.
  • Criação autónoma de textos de ficção induzida pela incorporação e tradução criativa dos conceitos analisados.

Metodologia

Métodos expositivo, demonstrativo e ativo.

Exposição dos conteúdos programáticos pelo docente. Debate a partir da análise crítica de textos de apoio. Prática de exercícios livres de escrita. Produção de textos ficcionais com recurso às noções teóricas adquiridas; decorrente discussão em grupo.

  • Componente teórica: 60%
  • Componente prática: 40%

A primeira parte de cada sessão é de exposição, análise e discussão a partir do universo e da obra de cada autor.
A segunda parte de cada sessão é dedicada a exercícios de escrita criativa literária e visa estimular e desenvolver o potencial criativo dos participantes a partir da relação estabelecida com os autores e as obras abordados.

Estruturação dos cursos livres

6 sessões com 170 minutos cada (total de 18 horas), com um intervalo intermédio de 15 minutos

Horas de contacto

Total de 18 h – 6 aulas de 170 min. – 2 aulas semanais
Horário pós-laboral: 18h30/21h30

Bibliografia

Excertos das obras indicadas serão fornecidos em fotocópia na sessão anterior àquela em que estarão em destaque.
A leitura prévia destes excertos não é obrigatória, mas será importante para a dinâmica das sessões.

As sessões deste Módulo I podem ser complementadas com a leitura da antologia Asas sobre a América-Wings over America (Vv.Aa., org. Filipa Melo, Almedina, 2011), que reúne os conteúdos do ciclo de palestras homónimo, realizado na sede da FLAD em 2008, com comentários de vários autores portugueses contemporâneos às obras de alguns dos autores norte-americanos selecionados.

Conteúdos (sujeitos a alterações)

MÓDULO I
Literatura Norte-Americana | Os Clássicos

Sessão 1

  • Walt Whitman – sensibilidade futurista
  • Bibliografia essencial – «Canto de Mim Mesmo», in Folhas de Erva ou em edição autónoma e de bolso, pela Biblioteca Editores Independentes
  • Complementar – «Saudação a Walt Whitman», Álvaro de Campos/Fernando Pessoa

Sessão 2

  • Edgar Allan Poe: narrativa fantástica
  • Bibliografia essencial – «O Poço e o Pêndulo» e «A Queda da Casa de Usher»

Sessão 3

  • Emily Dickinson – natureza extravagant
  • Bibliografia essencial – Poemas escolhidos

Sessão 4

  • Raymond Chandler – narrativa policial
  • Bibliografia essencial – A Dama do Lago e «The Simple Art of Murder»

Sessão 5

  • William Faulkner – condado imaginário
  • Bibliografia essencial – O Som e a Fúria e O Homem e o Rio

Sessão 6

  • Flannery O’Connor e Carson McCullers – grotesco sulista
  • Bibliografia essencial – Contos Escolhidos, Flannery O’Connor; Sangue Sábio, Carson McCullers

Docente

Filipa Melo é escritora, crítica literária, jornalista, licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa.

Coordena e lecciona a primeira Pós-Graduação de Escrita de Ficção em Portugal, na Universidade Lusófona.

Trabalhou em vários jornais, revistas e canais de televisão, foi tradutora, revisora tipográfica, consultora e leitora para várias editoras.

Dirigiu uma comunidade de leitores por onde passaram mais de 60 autores portugueses. Assina crítica literária nos jornais Sol e «i» e na revista Ler.

O seu romance Este É o Meu Corpo (2001, Sextante) foi traduzido em sete línguas. É também autora da antologia Asas sobre a América (Almedina, 2012), de Os Últimos Marinheiros (FFMS, 2015), reportagem em alto mar sobre «um mundo que acaba», e de Dicionário Sentimental do Adultério (Quetzal, 2017).

Há dez anos que ensina escrita criativa literária, a partir da história da literatura, e faz tutoria de escrita de ficção.

Coordena e lecciona a primeira Pós-Graduação de Escrita de Ficção em Portugal, na Universidade Lusófona.

Pós-pornografias: teorias e práticas (de guionismo)

Inscrever-se

Data

  • 28 a 30 de Julho

Apresentação

No contexto das críticas feministas e queer às representações de sexualidades disponíveis nos media mainstream, e ao seu carácter sexista, heteronormativo e racializado, surgiram vários movimentos artísticos empenhados em criar aquilo que geralmente se designa por “pós-pornografia”, pornografia queer e pornografia feminista. Este movimento artístico e cultural, com uma forte inspiração dos Estudos de Género e Queer, e dos Estudos Culturais, funciona através da subversão dos paradigmas e linguagens visuais, simbólicas e narrativas utilizadas pela pornografia mainstream. Foca-se também num sistema de produção e distribuição ética, respeitando as pessoas que operam em trabalho sexual e também responsabilizando quem consome este tipo de material. Este curso pretende, de forma teórico-prática integrar estas dimensões através da abordagem teórica das pós-pornografias, mostra de curtas e exemplos de trabalhos politicamente e artisticamente comprometidos e através da realização de um exercício de escrita de guionismo como forma de aprofundar o funcionamento do sistema de sexo-género na produção e consumo de cultura.

Objectivos

Dar a conhecer a pluralidade dos movimentos estéticos no campo das sexualidades. Explorar as formas como o estudo das pós-pornografias permite um olhar mais aprofundado sobre as relações genderizadas na sociedade ocidental contemporânea e os diferentes discursos de subversão dessas relações. Capacitar as pessoas participantes para a produção de conteúdos culturais próprios. Promover a reflexividade nos processos de produção e consumo de materiais culturais. Estimular a produção de materiais culturais sobre sexualidades mais diversos e inclusivos.

Docente

Daniel Cardoso é Professor Auxiliar a Tempo Integral na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, e Professor Auxiliar Convidado na Universidade Nova de Lisboa.

É doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa.

Participou já em vários projectos de investigação nacional com recurso a ferramentas de análise de conteúdo assistida por computador, e tem vários anos de experiência a ministrar workshops de gestão de bibliografia e de uso de vários tipos de software no apoio à investigação, bem como unidades curriculares de métodos de pesquisa e de investigação.

O seu trabalho de investigação centra-se principalmente sobre questões de género e sexualidades, com particular ênfase nas não-monogamias consensuais e no poliamor.

O seu trabalho académico, activista e artístico pode ser consultado em www.danielscardoso.net

Docente

Carmo Gê Pereira é/ tem um projecto português ligado à sexualidade desde 2008. Com anos de experiência em assessoramento erótico e tuppersex, realização de workshops, formações e tertúlias, sessões de cinema e ciclos de eventos desde 2011 e aconselhamento sexual desde 2015, tudo ligado à área da sexualidade, numa tentativa, bem sucedida de passar uma visão sobre comportamentos e identidades de forma desmistificada e aberta. Um projecto sem apoios, feito em nome próprio que ganhou espaço mediático e entre pares. Actua de forma activista paralelamente. Assumidamente LGBTQIA+, sex-positive de forma crítica tem-se destacado como:

  • Formadora, é parte do projecto OUTSIDE IN, um projecto da União Europeia de voluntariado para formação de formadores contra o discurso de ódio com o apoio do Erasmus+,
  • Educadora sexual para adultos, quer de forma geral, quer incidindo nos temas da orientação relacional e não monogamias e prazer inclusivo, reflectindo sobre os acessos e direitos sexuais das pessoas com diversidade funcional e neuro diversidade,
  • Na área do aconselhamento sexual​ não patologizante nem terapeutico​, pioneira em Portugal e professora do seminário de abertura do Nível II – Counselling da Pós-graduação em Sexologia da Sociedade Portuguesa Sexologia Clínica, com o seminário Teoria e práticas de avaliação e counselling
  • Expert em segurança, recomendação e utilização de tecnologias para a sexualidade (pornografia, sextoys, adereços, cosmética e estimulantes).

VR Guerrilha Filmaking

Inscrever-se

Data

  • 02 a 06 de Julho das 10h às 13h e das 15h às 18h (30h)
  • 02 a 13 de Julho das 18h às 21h (30h)

Nota: funcionará o horário que concentrar maior número de inscrições.

Apresentação do Curso

O interesse na tecnologia e estética 360 VR está a crescer, com as grandes marcas como YouTube e Facebook a desenvolver plataformas para suportar vídeo 360º.

O CCS Insight, analista do mercado tecnológico, estima que a venda de equipamentos wearable 360º VR, vai triplicar de 2016 a 2019, com as vendas a chegarem quase aos 250 milhões de unidades, e o valor de mercado a ultrapassar os 25 mil milhões de dólares. (hardware), este é um meio com grande potencial de aplicação para toda as áreas de conhecimento

Os participares deste curso vão adquirir conhecimentos técnicos e teóricos sobre as diferentes ferramentas e software utilizados nesta tecnologia, propõe-se a produção de um filme, em modelo guerrilha, em grupo, usando as novas câmaras Samsung Gear 360.

O alunos irão conhecer  experimentar os fundamentos técnicos e fluxo de trabalho desde a narrativa, design de produção até a pós produção e distribuição de conteúdos em 360ºVR.

Destina-se a todos os que têm um forte interesse na narrativa audiovisual, com a possibilidade de ganharem competências com um novo meio de comunicação imersivo que está agora a dar os primeiro passos.

Queremos reunir um grupo de pessoas de várias áreas e experiências que possam contribuir e aplicar a tecnologia 360º VR às suas áreas de conhecimento.

Preço

175€

Docentes

Rafael Antunes, frequenta o Doutoramento em Ciências da Comunicação na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.

Recentemente participou do curso em narrativa vídeo 360º VR no Graduate School of Journalism na University of California, Berkeley, frequentou o curso “Elements of Journalism” da Universidade Lusófona.

Convidado a participar no projecto CIAKL, curso europeu de empreendedorismo para as indústrias criativas, que envolve várias universidades e empresas europeias da indústria, procurando novos modelos de negócio para as indústrias criativas.

Defendeu a sua tese de Mestrado em Estudos de Cinematográficos na mesma Universidade, com um projeto de Transmedia “Lápis Azul”.

Licenciado em Cinema, Vídeo e Comunicação Multimédia na Universidade Lusófona.

Frequentou o Programa Erasmus na SZFE (Universidade de Teatro, Cinema e Televisão) em Budapeste, Hungria, participou do Digital Media Summer Institute, 2011, UT Austin | Portugal 2011 em “Convergence Culture” e “Transmedia Storytelling in the Contemporary Media Global Media”na Universidade Nova de Lisboa, trabalha no Grupo Impresa como Gestor de Produto na Direção de produtos e serviços digitas e é um dos responsáveis da implementação da tecnologia 360º VR no Grupo.

Professor da Universidade Lusófona em várias licenciaturas e mestrados nas áreas de Transmedia e 360ºVR, Realizou a curta-metragem “Moeda Viva” sobre o trabalho de Pierre Klossowski, filme selecionado para exibição na Cinemateca Portuguesa e Museu Berardo, “O Tenente” filmado em Super 16 mm sobre a criação da República Portuguesa em 1910 – primeiro prémio ICA / Lusófona 2010, prémio ZON, venceu o III Festival de Digital de Odemira e o prémio Augusta para melhor curta-metragem no Festival de Cinema Bragacine.

O filme foi exibido na SIC Notícias e em vários festivais nacionais e internacionais.

“Um Natal Especial” filmado em Super 16 mm em 2010, exibido na RTP.

Produziu e realizou o projeto Transmedia “Mutter” exibido na SIC Radical, que teve como objetivo principal o desenvolvimento de uma narrativa transmedia que integrasse diferentes plataformas e cruzamentos narrativos e dramáticos, o projeto foi premiado na ZON e esteve presente em vários festivais de cinema, nacionais e internacionais.

Realizou e produziu o projeto Transmedia “Lápis Azul” sobre a censura em Portugal, composto por um filme de ficção e um documentário, o projeto foi exibido pela SIC, SIC noticias e esteve em exibição nas salas de cinemas.

O projeto ganhou O premio Sophia da Academia de Cinema Português, para melhor documentário em curta-metragem, prémio para melhor argumento original festival Caminhos do Cinema Português e o prémio Augusta para melhor filme português no Festival de Cinema Bragacine.

Filipe Roque do Vale, 41 anos, Universidade Lusófona.

Começou a trabalhar como editor para televisão com dezoito anos. Durante cinco anos trabalhou em montagem para diferentes produtoras. Em 1998, com vinte e três anos começou a trabalhar na Universidade Lusófona como professor de montagem, pós-produção e linguagem cinematográfica.

Entretanto realizou cinco curtas metragens e trabalhou como montador em longas metragens, curtas metragens, documentários e videoclips.

Desde 2008 é responsável pelas instalações e equipamentos audiovisuais do o Grupo Lusófona, é também diretor do Centro de Produção Audiovisual e Multimédia da Universidade Lusófona.
Continua a ser professor de montagem e linguagem cinematográfica.